O que é a Terapia Neural

O que é a Terapia Neural

A Terapia Neural busca neutralizar as irritações do sistema nervoso vegetativo que desencadeiam um sintoma ou enfermidade. O Sistema nervoso vegetativo (SNV) está presente em todo corpo, e sua função está relacionada à manutenção da homeostasia (equilíbrio do organismo), controlando funções como a respiração, circulação (frequência cardíaca e pressão arterial), controle de temperatura e digestão. Além disso, o SNV é o principal responsável pela inter-relação do corpo com o ambiente, como por exemplo quando apresentamos tremores, constrição dos vasos sanguíneos, redução da frequência cardíaca e ereção dos pelos numa situação de frio extremo, com o objetivo de gerar calor e reduzir nosso gasto de energia, mantendo uma temperatura corporal adequada à sobrevivência. Assim, o SNV é capaz de regular o funcionamento de todo o organismo.

Considerando então que o SNV está presente em todo o organismo e está todo interconectado, quando existe uma irritação em uma parte do organismo, todo o sistema nervoso se modifica e se adapta, o que explica porque as fibras nervosas que rodeiam um dente por erupcionar possam estar irritadas e causar uma febre, ou porque após uma cirurgia, onde foram cortadas várias fibras do SNV, um indivíduo pode começar a apresentar dor numa articulação, como no ombro, por exemplo.

 

O objetivo do terapeuta neural é identificar a partir da história de vida do paciente em que lugar do corpo há uma fibra nervosa irritada, que pode ser responsável por um sintoma ou uma doença, e assim estimular sua reparação, permitindo que o organismo volte a exercer com êxito sua função. O terapeuta se fixará em certos dados chave, como infecções recorrentes (mesmo que tenham ocorrida na infância ou de longa data), as intervenções odontológicas ou cirúrgicas a que tenha se submetido o paciente, além de traumas emocionais. Também o exame físico, através da inspeção e palpação poderão auxiliar a identificar áreas de alteração do SNV, como áreas dolorosas, sem pelos, atróficas ou com lesões de pele. Uma radiografia panorâmica trará informações importantes sobre a boca, região onde encontramos irritações em cerca de 70% dos casos.

CAMPOS INTERFERENTES

As áreas de irritação que podem causar sintomas à distância no organismo são chamadas de CAMPOS INTERFERENTES.

 

O que e Terapia Neural 2

São frequentes campos interferentes na boca: dentes infectados, sisos inclusos ou mal posicionados, cistos apicais, que são constantes focos irritativos e que geram patologia à distância. A aplicação num destes locais pode causar o desaparecimento de uma dor no joelho ou de uma enxaqueca, por exemplo.

As cicatrizes são também muitas vezes campos interferentes, pois significam interrupções nos circuitos neurais, muitas vezes associadas a memórias traumáticas – cicatrizes de cesariana, cirurgias de apêndice, vacinas, amígdalas, de fraturas, queimaduras ou mesmo tatuagens.

A partir da identificação destes possíveis campos interferentes, o tratamento ocorre a partir de aplicações de anestésicos locais – procaína (ou lidocaína) em baixas concentrações. O efeito desejado na Terapia Neural não é o anestésico, e sim o efeito elétrico destas substâncias, que induzem a célula a uma tensão de 290 mV, permitindo a repolarização e estabilização do potencial da membrana plasmática das células afetadas, neutralizando a irritação e assim retomar um melhor funcionamento do sistema neurovegetativo. 

A PROCAÍNA

A procaína tem metabolização plasmática rápida e ao contrário dos outros anestésicos locais não é metabolizada no fígado, o que explica a sua boa tolerância.

Além da função reguladora do sistema nervoso vegetativo, a procaína ainda apresenta diversos efeitos farmacológicos:

  • Anti-histamínico
  • Antiarrítmico, por bloqueio de beta-receptores
  • Efeito cronotrópico negativo: diminui frequência cardíaca e melhora perfusão coronariana
  • Vasodilatação
  • Redução da permeabilidade capilar e melhora da microcirculação
  • Efeito espasmolítico na musculatura lisa em geral – brônquios, útero, intestino, e esfíncter de Oddi
  • Estímulo da diurese
  • Anti-inflamatório
  • Ação demetilante

Assista a um vídeo sobre o que é a Terapia Neural

História da Terapia Neural

Apesar de ainda pouco conhecida, a Terapia Neural não é um método novo e seus fundamentos são estudados há mais de 100 anos. Vários cientistas estudaram o sistema nervoso e os efeitos de anestésicos locais no tratamento de doenças até chegarmos à Terapia Neural segundo Huneke como conhecemos e praticamos atualmente.

1884. O fisiologista russo PAVLOV, ganhador do Prêmio Nobel de Medicina em 1904, realizou inúmeras experimentações controladas em animais, que resultaram na teoria e enunciação do mecanismo de condicionamento clássico. Seus estudos foram de grande importância para o entendimento da função coordenadora do sistema nervoso em todas as funções orgânicas, a partir do trabalho em cães em que controlava secreção salivar como resposta a diferentes estímulos aplicados.

1886. FRANK relata a possibilidade de paralisar transitoriamente os gânglios com cocaína.

1898. HEAD. Neurologista inglês, que direcionou seu estudos à fisiologia da dor. Descreveu e deu nome às áreas de Head, que consistem em regiões de pele com alteração de sensibilidade como resultado de um distúrbio visceral. Publicou na Alemanha em 1898 o livro Die Sensibilitatsstorungen der Haut bei Visceralerkrankungen (Distúrbios de sensibilidade da pele em doenças viscerais), mostrando a relação da pele e dos órgãos/estruturas profundas na interpretação das doenças, através da manifestação do sistema nervosa vegetativo.

1902. Publica o livro “O efeito curativo dos anestésicos” (Die Heilwirkung der Anaesthetika). Suas observações que feridas e processos inflamatórios tinham mais rápida resolução após aplicação de anestésicos não foram reconhecidas na Alemanha na época, mas influenciaram fortemente a medicina russa, em especial SPERANSKY e WISHCNEWSKY.

1905. O químico alemão EINHORN sintetiza pela primeira vez a procaína (comercialmente chamada de Novocaína) – o primeiro anestésico local sintético injetável usado.

1948VISCHNEVSKI publica “O bloqueio com novocaína como método para atuar no trofismo dos tecidos” (Der Novocain-block als eine Methode der Einwirkung auf die Gewebetrophik).

1949FLECKENSTEIN e HARDT publica “O mecanismo de ação dos anestésicos locais” (Der Wirkungsmechanismus der Lokalanaesthesie).

1950KIBLER publica “Terapia segmentar” (Segment-Therapie).

1965PISCHINGER é o criador do conceito de sistema básico e estudou e descreveu a importância do papel do tecido conjuntivo (ou conectivo) da matriz extracelular que circunda a célula pelo seu papel regulador, muito além de ser somente um tecido de sustentação. Antes de Pischinger, postulava-se que os capilares arteriovenosos terminavam na célula, mas seus achados atribuíram à matriz extracelular as funções vitais básicas de fornecimento de oxigênio, água, eletrólitos e balanço ácido-básico, além da regulação humoral, neural e sistemas de defesa inespecífico. 

Esses conhecimentos constituem uma base fundamental para a compreensão dos fenômenos neuralterapêuticos, a partir do entendimento que o sistema básico desempenha no nosso organismo um papel de sinapse ubiquitária, ou seja, presente em todos os lugares.

ERNEST ADLER, médico e dentista alemão demonstrou as interferências patológicas no sistema nervoso vegetativo causadas por alterações nos dentes e nas amigdalas. Criou o termo e é considerado Pai da Odontologia Neurofocal.

PETER DOSH, médico alemão e aluno de Huneke, publica o “Libro de Enseñanza de la Terapia Neural según Huneke (terapia procaínica)”.

DÉCADA DE 70. GERMÁN DUQUE, médico colombiano, formado na Alemanha e que aprendeu Terapia Neural com Peter Dosh, retorna à Cali e traz seus ensinamentos para a América Latina. Traduziu vários livros de Terapia Neural para o espanhol e começou a disseminar essa terapia para um grande número de profissionais de saúde de diferentes países.

Junto com ele, JULIO CÉSAR PAYÁN, médico, ginecologista-obstetra e ex-professor da Faculdade de Ciências da Saúde da Universidad del Cauca, foi a Cali para aprender e participar deste trabalho, tornando-se um pioneiro e formador de terapeutas neurais em toda América Latina e Espanha.

ERNEST ADLER publica “Enfermedades generales causadas por Campos de Irritación del Sistema Neuro-Vegetativo producidas por problemas dentales y amigdalares (ámbito del Trigémino)”, que teve duas posteriores edições, sendo a última em 1983 (revisada em 2004).

1992. A Terapia Neural foi reconhecida pelo governo colombiano.

2003
. A Faculdade de Medicina da Universidade Nacional da Colômbia incorporou o ensino de Terapia Neural como um curso de extensão, e em 2007, como mestrado. Nestes espaços acadêmicos, professores de diferentes disciplinas participam, graças a isso um diálogo de conhecimento foi aberto entre a visão ortodoxa e a visão heterodoxa.

Terapia Neural no Mundo

Federação Internacional de Associações Médicas de Terapia Neural (IFMANT) – Site com versões em alemão, inglês e espanhol

Site de terapia neural, mantido pelo Dr David Vinyes

Associação Médica Internacional de Terapia Neural segundo Huneke (IGNH - Internationale medizinische Gesellschaft für Neuraltherapie nach Huneke) em alemão

Associação Médica de Terapia Neural (Espanha)

Associação Médica Suiça de Terapia Neural

Associação Médica Austríaca de Terapia Neural

Associação Médica Colombiana de Terapia Neural

Associação Médica Turca de Terapia Neural

Associação Médica Grega de Terapia Neural

Associação Médica Italiana de Terapia Neural – NEURALIA

Associação Médica Holandesa de Terapia Neural

Terapia Neural (Polônia)

Site com artigos e publicações científicas sobre Terapia Neural, Procaína, Dolor y Neurociência, mantido por Juan Manuel Marín